Milhares de casas de cristãos são queimadas no Iraque

Milhares de casas de cristãos são queimadas no Iraque
Após mais de dois anos de ocupação, o Estado Islâmico deixou uma triste herança para os cristãos iraquianos. Além de ter perseguido e matado uma grande quantidade de pessoas que se negaram a abandonar sua fé em Jesus, quando começou a bater em retirada desde meados de novembro, o grupo incendiou milhares de casas de cristãos nas vilas dominadas por eles na planície de Nínive.

Com isso, a maioria das casas se tornou inabitável e por isso, a maioria dos cristãos que viviam ali estão impossibilitados de voltar para casa.

Segundo relato do World Watch Monitor, nas últimas semanas, líderes religiosos e equipes voluntárias mapearam o grau de devastação nas aldeias cristãs. Os resultados são cada vez mais assustadores.

Em locais onde antigamente havia uma maioria de cristãos, como Bartella, Qaraqosh e Karamles cerca de 80% das casas foram completamente destruídas após os bombardeios ou queimadas pelos soldados do EI. Um voluntário conta que “Na maioria das casas, todas as peças pegaram fogo, exceto as cozinhas, o que indica que estavam sendo usadas pelos terroristas. “É, claramente, uma estratégia organizada”, afirma um dos voluntários que está em Qaraqosh.

O irmão Thabet, um dos líderes religiosos da aldeia de Karamles, conta que está claro que foram incêndios criminosos visando as casas cristãs. Em alguns casos, os incêndios começaram horas antes dos jihadistas serem expulsos da área pelas forças aliadas.
Thabet levanta cruz.

Ele conta que a devastação causou mais do que danos físicos. “As pessoas têm a sensação de que a sua história foi apagada,” conta.

Ainda assim, Thabet conta que alguns homens já voltaram e estão ansiosas para reconstruir sua aldeia. Voluntários estão ajudando a limpar e recuperar os objetos de sua igreja. Missões evangélicas estão oferecendo apoio e dinheiro.

“Temos de nos preparar para um longo período de reconstrução. No entanto, acredito firmemente que este é um terreno cristão, e vou trabalhar duro para ajudar os cristãos a retornar a este lugar, se Deus quiser, para viver aqui em paz “, assegura.

O desafio é imenso. “Não há eletricidade, nem água, nada. Você sabe como é difícil iniciar a limpeza sem ter água disponível? Este processo vai demorar mais do que pensamos”, desabafa Thabet. O religioso faz um apelo: “A comunidade internacional tinha de oferecer uma solução para os cristãos aqui.” Com informações de Christian Today

Comente com o Facebook: